caymmi

"…Ah! eu canto a dor
Canto a vida e a morte,canto o amor
Cantador não escolhe o seu cantar
Canta o mundo que vê
E pro mundo que vi meu canto é dor
Mas é forte prá espantar a morte
Prá todos ouvirem minha voz
Mesmo longe…"

Dorival Caymmi

Anúncios

palavrum

Para falar de amor, um poema.

Para o ódio, estratagemas.

Para o caos, leis.

Para caçar raposas, reis.

Para aprender, cartilha.

Para o incompreensível, Deus.

Para o pão, partilha.

Para você, eu.

Palavras

Em cada batalha

Que o homem trava.

Algaravia.

Para que a vida a pena valha,

Só peço uma que não se descubra vazia.

Paulo Dáuria

de repente………

De repente do riso fez-se o pranto

Silencioso e branco como a bruma

E das bocas unidas fez-se a espuma

E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento

Que dos olhos desfez a última chama

E da paixão fez-se o pressentimento

E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente

Fez-se de triste o que se fez amante

E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante

Fez-se da vida uma aventura errante

De repente, não mais que de repente.

Vinícius de Morais

de repente…

(esse poema  fez-se  necessario num momento de mudanças)

a janela



eu tenho essa janela
com venezianas
onde espio o mundo

por trás das minhas costelas
ainda menina
seguro meu coração
entre as mãos

muda e apreensiva…

fui esquecida na porta do colégio, tinha 5 anos eu acho…
fecharam o portão e fiquei ali…me sentindo a última e mais coitada das crianças,
até hoje, vez ou outra me bate o mesmo desamparo
a impressão de que quem devia me buscar
esqueceu…

morda……


Não se pode fazer.
Não se pode tentar…
É proibido chegar até voce  agora
É proibido alimentar esperança, falar quente…
Feliz.
É proibido ser ou tentar ser tranquila
quando se cruzam olhares magoados
pelos enganos dos outros.
Não se deve pensar no que seria…
no que foi, o que foi e porque foi
Não se encontram nos cantos da memória,
lembranças do que existiu um dia de belo,
e deixou de existir…
É proibido fazer caso.
É proibido ter uma opinião.
É proibido expressa-la
Não me deixes cair neste jogo de proibidos…
Não me deixes ficar aqui à espera de um caminho
de pedra fria e cruel que me rasga os pés…
Vem e traz-me um aceno… uma certeza…
Não me importa que doa, que fira
ou aconchegue, simplesmente.
Só não me deixes de olhos fechados
a pensar que tudo me é proibido.

é proibido….

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.
É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

(Pablo Neruda)

a la carte…..

Sou desse tipo de gente que tece teorias…não imutáveis, que não sou
tão boba a esse ponto, mas sou boba o suficiente para pensar e
simplicar certas questões em teorias "explicativas"…
Estou falando disso, por que ontem uma amiga comentou sobre um filme do qual ela nunca assistiu o fim, Ps, Eu te amo!

vai a minha teoria: o final, cada um faz o seu, relembra cenas e
termina o filme, no ponto exato da sua necessidade, da sua capacidade
de entendimento…Como uma sessão de Lacan…Fiz um teste uma vez numa
mesa, com 5 amigos, a pergunta:
Como termina o filme O coração
Valente? Cinco finais diferentes, na verdade seis, por que nenhum bateu
com o meu…assim de certa forma carimbei minha teoria como verdadeira.
Quer saber outra teoria, que até agora me parece certa?
Ao
acabar a "moda" de tocar música lenta, a proximidade das pessoas não só
foi duramente prejudicada, como os relacionamentos sofreram um
imediatismo de processo e com isso o desejo também
reduziu…Explico:antes quando existia esse "ritual de aproximação",
existia uma escolha prévia, um desejo que demorava a ser satisfeito e
quando finalmente os corpos de aproximavam, a boca se aproximava do
ouvido, os cheiros eram percebidos, havia um processo mais lento de
fervura e uma ebulição saborosa…Agora, alguns desses passos são
pulados, inclusive o processo de escolha seletiva…o que fatalmente
leva á falta de desejo…
Falando em desejo, teoria final: a postura
emocional de hoje é de fast food, ou sendo mais específica de
buffet…uma variedade enorme de cores, cheiros e sabores, nunca haverá
tempo para provar tudo…a sensação fomentada é de que existem sabores
exóticos que precisamos provar, existem mil sabores…numa época que
estimula a curiosidade e a eterna procura, é um prato cheio para a
eterna insatisfação.
Nenhum problema em terminarmos o filme onde
bem entendermos…Problemas enormes em não sabermos optar e nos
deliciar com um excelente prato a la carte e com o melhor vinho ou
champagne da casa…né?