para……..

Ás vezes, apenas por um momento, a vida pára.
Para nesse instante podermos ser tudo.
Sentir tudo.
Qualquer coisa que tenhamos em mente pode, de repente, tornar-se real.
Talvez
nem sempre estejamos suficientemente atentos para notarmos que esta
acontecendo.É um intervalo no tempo, suspenso, que se limita a
acontecer, não acontecendo.Isento de coordenadas.Flutuante no
vazio.Onde habitam todas as possibilidades, todas as hipóteses, todas
as escolhas…é raro , mas acontece!
Lindos sonhos pra quem fica….
Anúncios

pessoas …..

As pessoas sensíveis
são especiais. Possuem uma aptidão diferente da maioria: conseguem
sentir todos os matizes e todas as variações de cores e afetos,
enquanto que a maioria apenas distingue o preto do branco. São as
pessoas sensíveis aquelas que vêem uma "maria-sem-vergonha" a caminho
de casa, que saboreiam os pequenos prazeres como grandes milagres da
vida. Também são aquelas que mais se entristecem com os atrocidades de
todos os dias, que choram com o sofrimento dos mais fracos. São as
pessoas sensíveis que conseguem eternizar tanto a Beleza como o Horror
porque não esquecem, nunca se esquecem…
Essas eu não esqueço…..essas invadem e fim!

aguas agitadas



"Era uma vez uma pata que pôs quatro ovos.
Enquanto os chocava, uma raposa atacou o ninho e matou-a.
Mas,
por algum motivo, não chegou a comer os ovos antes de fugir, pelo que
eles ficaram abandonados no ninho. uma galinha choca passou por ali e
viu o ninho abandonado.
O seu instinto fê-la sentar-se sobre os ovos para os chocar.

Pouco depois, nasceram os patinhos e, como é lógico, acharam que a galinha era sua mãe e andavam em fila indiana atrás dela.

A galinha, contente com as suas novas crias, levou-as para a praça.
Todas
as manhãs, depois do cantar do galo, a mãe galinha esgravatava o solo e
os patos esforçavam-se por imitá-la. Como os patinhos não conseguiam
arrancar da terra nem uma mísera minhoca, a mamã alimentava todos os
bichinhos, dividia as minhocas em pedacinhos e dava de comer aos filhos
no bico.

Num dia como tantos outros, a galinha foi passear com a
sua ninhada pelos arredores da praça. Os seus patinhos seguiam-na
disciplinadamente em fila indiana.
Mas, de repente, ao chegar ao
lago, os patinhos deram um salto para a água com toda a naturalidade,
enquanto a galinha cacarejava desesperadamente, implorando-lhes para
saírem do lago.
Os patinhos nadavam alegremente e chapinhavam, enquanto a sua mãe saltitava e chorava, com medo que se afogassem.

O galo apareceu no lago, atraído pelos gritos da mãe, e analisou a situação.
– Não se pode confiar nos jovens – foi a sua sentença. – São uns imprudentes.
Um dos patinhos, ao ouvir o galo, aproximou-se da margem e disse:
– Não nos culpem a nós pelas vossas próprias limitações.

(-Não penses, que a galinha estava enganada.
Também não julgues o galo.
Não penses que os patos eram prepotentes e rebeldes.
Nenhuma destas personagens está errada. O que acontece é que vêem a realidade deposições diferentes.
O único erro, quase sempre, é pensar que a posição em que me encontro é a única da qual se consegue ver a realidade.

O surdo acha sempre que os que dançam estão loucos.)"

(in "Deixa-me que te conte" por Jorge Bucay)

Se o sapo não virar príncipe…




Muita gente conhece a história da princesa e do sapo, mas vou retomar para quem não se lembra…
A
princesa está brincando próximo a um lago, derruba a bola na água e
começa a chorar. O sapo diz que pode pegar a bola para ela, em troca de
um beijo.
A donzela aceita, mas depois foge para não beijar o sapo,
quebrando a sua promessa. Ela passa a dividir comida com o sapo, que
insiste na história do beijo (puta cara chato!).
O rei, sabendo da história, faz a princesa cumprir a promessa.
Ela chora, esperneia, mas beija o sapo e ele vira um lindo príncipe!
Eles se casaram e foram felizes para sempre…

Lendo algumas coisas na internet, descobri que a história não é bem assim…
Essa foi a versão criada para as crianças, mas em sus origem, os contos de fadas eram destinados aos adultos.
Na
versão original, a princesa não promete beijar o sapo, mas sim dividir
a sua vida com ele, carregá-lo para cima e para baixo, dormir na mesma
cama que ele, dividir a sua comida… quase um casamento!
Lógico que
ela desiste desse idéia estapafurdia, pois um sapo não é nenhum gatinho
ou cachorrinho. Para o azar da moça, o rei faz com que ela honre sua
palavra e viva com o sapo.
Um dia, enfurecida, a princesa joga o sapo na parede e aí sim ele vira príncipe!

Agora, vamos fazer uma analogia com a realidade…
Você
conhece um ser que nem é t-u-d-o isso. Só que a donzela teimosa fica
acreditando que se beijar o sapo, ele se tornará príncipe (porque seus
pais lhe contaram a versão infantil da história e você acreditou).
Não! Definitivamente, não!
Beijar
o sapo não só não o transformará em príncipe como fará com que o ser
fique se achando porque beijou a princesa! Vai querer fazer graça e
esnobar, contar vantagem para os outros sapos e quem ficará chorando é
você.
É, o caso é mesmo sério…
Se pensarmos na versão original
da história, a coisa muda de figura. A princesa, embora suporte o sapo,
não o beija. Afinal, não é ela que tem que conquistá-lo. Pelo
contrário, a donzela se estressa e arremessa o sapo na parede.
Ironicamente, nessa hora ele se transforma em príncipe.

Agora, leia com atenção: quando é que o sapo vira príncipe? Justamente quando leva um chega pra lá da princesa!
Portanto,
se você tentou o beijo e não conseguiu transformar o sapo em príncipe,
jogue logo ele na parede! E se depois disso ainda não der certo, largue
mão de vez, porque a lagoa está cheia e uma hora a gente acerta! Ou
melhor ainda, vai que seu príncipe só que se perdeu pelo caminho…

Tudo de bom pra você

Aprenda a viver os momentos bons de sua vida, aprenda a
guardar dentro de você os sentidos, os cheiros, as palavras doces, as
emoções que realmente importam. Limpe o seu coração das brigas, das
promessas não cumpridas, das mentiras, viva a realidade sim, mas viva
com o lado bom das notícias, das pessoas, das coisas.

Não perca tempo com discussões bobas, não queira ter sempre a
razão. Que importa a razão quando podemos dar um beijo apaixonado e
demoradamente doce? Que importa a sua certeza diante da grandeza de ser
humilde e reconhecer nossas fraquezas?

Pare de exigir as coisas dos outros, faça mais a sua parte:

quer carinho? que sua palavra seja sempre doce aos ouvidos.

quer paz? que sua palavra não ofenda.

quer liberdade? que sua palavra não calunie nunca.

quer ser feliz? que sua palavra seja sim quando puder ser sim, e não quando precisar ser não.

quer cativar as pessoas? seja sincera, mas não queira impor a sua verdade.

quer um grande amor? seja ele, viva em você um grande amor, não espere alguém te cativar, cative alguém.

Um último toque para sua estrada da vida, muitas pessoas vão passar
por você e algumas você vai se ligar, outras serão esquecidas, poucas
vão te marcar profundamente, mas todos vão ter uma impressão sua, vão
levar uma ideia de você, que essa impressão seja sempre a melhor, a
mais honesta possível, isso garante bons fluídos, garante paz interior
e no fim de tudo garante a nossa felicidade.

Hoje é um dia maravilhoso para ser feliz, depende da sua disposição de aceitar o que o Universo tem de bom para você.

FELIZ DIA!!!!!!!!!!!!!!!!

Diálogo com Clarice [Sobre abismos, coragem e fé]

“De Ulisses ela aprendera

a ter coragem de ter fé – muita
coragem, fé em quê?

Na própria fé, que a fé pode ser um grande susto,

pode significar cair no abismo,

Lóri tinha medo de cair no abismo

e
segurava-se numa das mãos de Ulisses

enquanto a outra mão de Ulisses
empurrava-a para o abismo

– em breve ela teria que soltar a mão menos
forte do que a que a empurrava,

e cair, a vida não é de se brincar
porque em pleno dia se morre.

A mais premente necessidade de um ser
humano era tornar-se um ser humano.”

Clarice Lispector. Uma aprendizagem ou o Livro dos prazeres. ed. Rocco, 1998. p.32